Bem-vindos ao The Raven Cycle Brasil, sua primeira e melhor fonte sobre a saga de livros e série de TV! Possuímos o melhor conteúdo sobre a Saga dos Corvos no Brasil. Com único intuído de informar e unir fãs esperamos que gostem do site e voltem sempre a nos visitar. Aproveite para nos acompanhar nas nossas redes sociais para ficar ainda mais informado sobre a saga.
Arquivo da categoria: 'the raven king'
Uma resenha sobre “Opal”
06.Mar

A menos que você esteja morando em uma caverna (cuidado com os corvos), você deve saber que a Maggie anunciou uma continuação de A Saga dos Corvos e uma trilogia focada no Ronan, até então popularizada no fandom como “The Ronan Trilogy” ou “The Dreamer Trilogy“. Desde o anúncio, estamos surtados com a oportunidade de saber dos acontecimentos pós-O Rei Corvo. A boa notícia é que não precisamos esperar muito para isso. Em comemoração pelo lançamento da edição paperback do último livro da saga nos Estados Unidos, a Scholastic encomendou um conto para a Maggie a ser incluído nessas novas edições. Depois de muito drama da editora estadunidense, que ameaçou cancelar a publicação do conto pelas vendas dos livros no país não estarem indo tão bem, finalmente ganhamos a confirmação de que ele seria comercializado não apenas nos paperbacks de The Raven King, como também no formato de e-book.

O conto, intitulado Opal, é focado na personagem à qual somos apresentados em Azul Lírio, Lírio Azul e foi lançado na semana passada. A história se passa pouco tempo depois dos acontecimentos de O Rei Corvo. A versão digital tem 39 páginas (o acordo entre a Maggie e a Scholastic era de bem menos que isso, mas, pra nossa sorte, ela se empolgou). Sem spoilers, fiz uma lista dos pontos principais do conto:

1. A Opal é extremamente interessante e preciosa. Nós passamos a entender bem melhor o que ela é e a relação entre ela e o Ronan.

2. Alguns personagens antigos aparecem, (talvez não necessariamente os que esperávamos e queríamos, mas essas aparições também não desapontam!).

3. O Ronan está amadurecendo DEMAIS.

4. Você quer Pynch, @? Toma Pynch, então.

5. Se fosse pra colocar o conto em uma linha entre A Saga dos Corvos e a Dreamer Trilogy, eu diria que ele está bem mais para o lado da nova trilogia do que da saga principal. Vários pontos da história mais soam como cliffhangers para a continuação do que resgates da história anterior.

6. MAS, como é de costume na Saga, a Maggie fez com que vários trechos do conto fizessem referência a trechos dos livros anteriores. Um, inclusive, faz referência ao “I’m not asking him to stay, only to come back” de O Rei Corvo. Sabe? Aquele quote que muito provavelmente te fez chorar no último livro? Então, a “correspondência” dele em Opal vai te fazer chorar de novo.

7. Falando em quotes, se você está envolvido no fandom no Twitter, deve ter visto um suposto trecho vazado do conto que estava sendo problematizado. A notícia ruim é que era real. A notícia boa é que a pessoa que vazou o trecho cortou o texto exatamente onde dava o contexto que, na minha opinião, invalida todas as problematizações. Mas daí vai da leitura e interpretação de cada um.

8. Como um dos “apelidos” da nova trilogia já provoca, toda a mecânica dos sonhos vai ser bem mais explorada (e complicada) futuramente. Já dá pra perceber isso em Opal.

9. A relação entre a Opal e o Adam é a coisa mais fofa do mundo.

10. Carros.

Espero que eu tenha conseguido te deixar curioso ou curiosa sobre o conto e a nova trilogia! Até agora, Opal só está disponível em inglês e não temos informações sobre a publicação em português, mas sempre vale cobrar a Verus. Depois, é só esperar pela Ronan Trilogy! Make way for the raven dreamer. 


Texto por: @carlstairs



[TWITTER] Maggie solta trecho do extra: “Opala”!
08.Dez

No dia 24 de novembro, Maggie Stiefvater publicou em seu twitter sobre uma história extra, de 11 mil palavras referente a Opala [confira aqui] e liberou um pequeno trecho do extra. No dia 08 de dezembro, Maggie voltou a falar sobre o extra, liberando outro pequeno trecho em sua conta do twitter e instagram.

Confira ambos os trechos, traduzidos por nossa equipe*, abaixo:


Essas eram as regras. Alguns visitantes podiam ver ela, se Ronan dissesse estava tudo bem, e alguns visitantes não podiam ver ela, se Ronan dissesse para ela desaparecer, e nenhum visitante podia ver seus cascos.

Ela não podia comer nada que estava dentro da casa, a não ser que tivesse sido dado para ela. Mesmo se fosse algo que soava bom enquanto ela mastigava, como caixas de papelão e utensílios de plástico. E, em particular, ela não poderia comer nada do quarto de Adam ou de Aurora, e se ela comesse, seria punida. Ela não podia chamar o Ronan de Kerah, porque ele tinha um nome e ela era perfeitamente capaz de formar qualquer palavra que quisesse, diferente de Motosserra, que só tinha um bico. Ela podia escalar em quase tudo que quisesse, exceto em carros, porque cascos não são bons para o metal e também porque suas mãos sempre estavam muito sujas. Ela não precisava tomar banho ou se lavar, apenas se quisesse entrar na casa, e ela não podia mentir sobre ter se lavado se quisesse sentar no sofá, porque Deus, Opala, suas pernas cheiram a cachorro molhado. Ela não podia roubar. Esconder objetos de outras pessoas conta como roubo, ao menos que os objetos sejam presentes, os quais você esconde mas então ri sobre depois. Coisas mortas estavam […]

 

 

Ela se encostou nele e ele se encostou nela, e ele disse, “Deus, que ano.” Ele disse isso com um sentimento tão humano que o amor de Opala por ele transbordou, então ela finalmente desistiu e o levou para onde tinha enterrado todos os pratos.

“Esse é um buraco grande,” ele disse, enquanto eles o encaravam. E era. Era grande o suficiente para enterrar um intruso ou um jogo de louça para doze pessoas. “Sabe, eu costumava achar que você fosse crescer. Mas eu acho que você já está crescida, não está? Esse é o jeito que você é.”

“Sim,” Opala disse, em inglês.

“Algumas vezes, o jeito que você é é um saco,” ele acrescentou, mas ele podia perceber que ele havia dito com carinho.

Parecia que iria ficar tudo bem.


Fonte: (x) (x)
Tradução e adaptação: The Raven Cycle Brasil – não reproduza sem créditos, plágio é crime.
*Tradução não oficial.



[LIVROS] Edição Paperback de The Raven King (O Rei Corvo) com brindes e extras!
25.Nov

Novidades sobre a edição Paperback de The Raven King (O Rei Corvo)! Após ser aparentemente cancelada, voltaram atrás e o livro vai sim ser publicado!

O lançamento será no dia 27/02/18 e contará com uma história extra de 11 mil palavras e um brinde – uma carta de tarô ilustrada com um desenho da Opala – além de vir autografado pela Maggie! Confira abaixo os tweets da Maggie com as informações sobre o livro.

Obs: Não sabemos se o livro também será entregue para fora dos Estados Unidos. Qualquer nova informação atualizaremos o post!

ATUALIZADO: aparentemente o livro pode ser entregue para fora dos Estados Unidos, então é só fazer o pedido aqui e colocar os seus dados, no entanto o frete é um pouco caro para entregas internacionais. Também não há informações se a história extra será publicada pela editora brasileira de “A Saga dos Corvos”, Verus. Qualquer dúvida estamos no nosso twitter para ajudar!


“Trabalhando em uma carta de tarô bônus da Opala que irá com as cópias em paperback de “O Rei Corvo” da @FountainBkstore”

“Tudo bem! Se você encomendou a edição paperback de “O Rei Corvo” da @FountainBkstore, ela virá autografada e virá com uma carta de tarô bônus da Opala. Todas as edições norte-americanas de TRK também incluirão uma história de 11 mil palavras. http://www.fountainbookstore.com/rkopal”

“(lançamento será em 27/02/18)”


Fonte: twitter twitter 
Tradução e adaptação: The Raven Cycle Brasil – não reproduza sem créditos, plágio é crime.



O The Raven Cycle Brasil não é afiliado a autora Maggie Stiefvater ou a equipe/elenco envolvida na série. Todo o conteúdo postado aqui, pertence ao site ou terá os devidos créditos. É proibida a cópia total ou parcial deste layout. Site sem fins lucrativos.